Visita de sua Eminência Reverendíssima o Bispo do Porto, D. Pio Alves

29-03-2014 20:51

No passado dia 28 de Março, sua Eminência Reverendíssima o Bispo do Porto, D. Pio Alves, acompanhado pelo Pe. Samuel Guedes, visitou a nossa delegação da Cruz Vermelha Portuguesa, integrado na visita pastoral das paróquias.

Foi uma breve visita, mas revestida de um profundo sentimento de reconhecimento do trabalho de todos os voluntários que desta forma aproveitaram a ocasião para o homenagear.  

A visita iniciou-se por volta das 18:00 horas, nas instalações do pólo de Pias, onde funciona a equipa de emergência social, chefiada pelo Dr. Joaquim Sérgio, também membro da direcção.

Aqui pode observar a loja social, que coloca à disposição artigos de vestuário a custo simbólico, as salas multifunções, gabinete de psicologia e armazém de recolha, armazenamento e triagem de alimentos.

Mostrando-se assaz interessado pelo nosso trabalho, foi satisfeita a sua curiosidade relativa ao número de famílias apoiadas; ao tipo, quantidade e frequência com que a distribuição de alimentos é feita, assim como à sua proveniência. Foram-lhe dadas explicações sobre o controlo que é feito, em colaboração com outras instituições do concelho sobre as famílias apoiadas, de maneira a que cada uma receba na justa proporção.

De seguida, visitou as instalações da sede, recém requalificadas, onde pode observar os investimentos tecnológicos feitos nos últimos meses, de onde se destacou a nova central telefónica composta com a mais recente tecnologia em comunicação, e que desta forma veio preparar esta delegação para o futuro.

Na sala do corpo de juventude, pode ouvir um poema declamado por uma jovem, alusivo ao voluntariado e que posteriormente enalteceu, com dedicatória impressa no mesmo.

Seguiu-se a apresentação e bênção das duas novas viaturas de transporte múltiplo de doentes, na presença de todos os convidados que acompanhavam a cerimónia. De entre os presentes destacamos o antigo presidente da delegação de Braga e atual representante e membro da direção nacional da Cruz Vermelha, Dr. Francisco Alvim, os vereadores da CMPF Joaquim Sousa, Paulo Sérgio Barbosa e o Presidente da Junta de Freguesia Carlos Souto.

Seguiu-se um breve discurso do presidente da delegação, Dr. Pedro Sousa Ferreira, que agradeceu ao Sr. Bispo a sua visita, aludindo à importância que é para todos nós o reconhecimento público do trabalho desempenhado pelos voluntários, que sacrificam a sua vida pessoal em prol do bem estar do próximo. Sublinhou que o factor mais importante a ter em conta, e aquele pelo que nos devemos verdadeiramente regozijar, não são as novas viaturas, nem as instalações, mas as boas relações humanas orientadas pelos sete princípios fundamentais da Cruz Vermelha. Agradeceu publicamente a todos os voluntários o seu valoroso trabalho, alertando para o facto de serem aqueles, o ativo mais valioso desta delegação.

Após, tomou palavra o Sr. Bispo, que agradeceu e muito elogiou o nosso trabalho, frisando o facto deste ser também dirigido a espalhar a paz, o amor e a minimização do sofrimento humano, que também são princípios orientadores da igreja da qual faz parte.

Seguiram-se ainda discursos do representante da direcção nacional da Cruz Vermelha e do vereador da protecção civil da CMPF.

O evento terminou com a oferta de um ramo de flores ao Sr. Bispo, e um “Porto de Honra”, durante o qual foi dado a assinar o livro de honra da delegação.  

Sublinhamos e esclarecemos, para os menos atentos, que a nossa atividade, de acordo com os estatutos da Cruz Vermelha, se encontra orientada pelos princípios da Imparcialidade e Neutralidade. Estes princípios não podem, nem jamais devem ser interpretados no sentido da exclusão da CVP ao mundo com a criação de barreiras. Muito pelo contrário, são estes mesmos princípios que permitem à CVP colaborar com quaisquer entidades, sem qualquer discriminação, nomeadamente a Igreja, que vem desempenhando desde tempos imemoráveis um trabalho de cariz social e humanitário como é exemplo, no concelho, a extensa e louvável obra da Paróquia. Nunca poderemos confundir ser neutral com ser indiferente já que a neutralidade da Cruz Vermelha deve ser sempre acompanhada por uma forte tomada de posição a favor dos mais vulneráveis.

 A delegação agradece a todos os que colaboraram para fazer deste momento verdadeiramente especial, quer com o asseio das instalações e arranjos florais, organização do evento e à “A Padaria” propriedade do Sr. Carlos Rocha que ofereceu doces e o vinho do Porto.

Ver fotos